Uma piscina requer cuidados, assim como qualquer bem que possuímos. E para uma piscina, existem dois tipos de cuidados; o tratamento físico e o tratamento químico. Neste artigo falaremos um pouco sobre um destes cuidados, o tratamento químico para piscinas.

Por que realizar o tratamento químico para piscina

Tratamento químico para piscinas

O tratamento químico para piscina se trata da aplicação de produtos químicos para o controle dos parâmetros físico-químicos da água da piscina.

Precisamos lembrar que, ao começar o tratamento químico para piscina, é importante a utilização de luvas, máscaras e óculos de proteção.

Dentre os procedimentos utilizados para o tratamento químico para piscina, os principais são:

Controle do PH

Se o PH da água estiver menor que 7.0, pode causar irritações nos olhos, pele e mucosas. Sem contar que os equipamentos da piscina também podem ser danificados devido ao processo de corrosão da água.

Se o PH da piscina estiver muito acima do ideal (que é em torno de 7,2 até 7,6), pode causar irritações nos olhos, pele e mucosas, pode deixar a água turva e ainda podem surgir formação calcárias nas tubulações e nos equipamentos da casa de máquinas.

O ideal é que a medição do PH seja feita diariamente e que a correção seja feita sempre que necessário.

Controle da Alcalinidade

Se a alcalinidade da água estiver baixa, a água tende a ficar turva, tonalidade verde, opaca, sem brilho e também corrosiva.

Se a alcalinidade da água estiver alta, a água tende a ficar turva, opaca, sem brilho e também forma incrustações nas tubulações dos equipamentos da piscina.

O ideal é que sua medição seja feita semanalmente e que a correção seja feita sempre que a medição apontar a necessidade.

Controle de Cloro

Controle de Cloro

nível ideal de cloro para a piscina é entre 1,0 a 3,0 ppm (o que indica que a água é potável).

O ideal é sempre termos uma concentração mais baixa possível de cloro, pois se usado de forma inadequada, este tipo de produto pode transformar a água de sua piscina nociva à saúde.

O cloro livre é aquela quantidade de cloro que está na piscina à espera de alguma impureza para oxidar.

A quantidade de cloro livre em piscinas deve estar sempre em torno de 1,5 ppm.

O cloro combinado é aquele que já foi ou está sendo consumido na desinfecção da piscina.

Muitas vezes, quando a piscina está infestada por cloro combinado é possível perceber o cheiro forte de cloro na água.

O cloro total é a quantidade de cloro livre somada à quantidade de cloro combinado.

O equilíbrio químico da água

Controlar os parâmetros químicos da piscina nos permite identificar se a água está ácida, neutra ou alcalina (básica). Além disso, o equilíbrio químico da água permite garantir sua qualidade microbiológica, ou seja, se ela está realmente saudável e pronta para o uso.

Como se não bastasse, é equilibrando a química da água que permitimos o bom funcionamento dos produtos químicos usados tanto para desinfetar a piscina quanto para os outros processos como clarificação, decantação, prevenção de algas, etc.

Essas medições são realizadas através de um Estojo de Teste cuja embalagem mostra as instruções de utilização.

No Brasil é bastante difícil encontrar estojos que medem o cloro livre e o cloro combinado de piscinas.

Por isso, para medir o cloro livre, podemos utilizar a Fita de Teste, que é facilmente encontrada em qualquer loja de piscinas.

Quer saber mais sobre o tratamento químico para piscinas ou sobre outros assuntos do universo das piscinas? Entre em contato conosco! Somos especialistas em piscinas de vinil e construímos piscinas há mais de 30 anos!

Sempre que precisar, seguimos à disposição no telefone (31) 3494-1286 ou através do WhatsApp (31) 99214-8299.

Continue contando com a PISCINAS PLANALTO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *